O Solo como Ambiente

COMPARTILHE:

Um solo bem cuidado talvez seja o ambiente onde exista mais vida no Planeta, visto a olho nu, o solo parece um corpo inerte e sem vida. Mas nada, no entanto, é mais vivo do que um solo fértil. Os seres vivos que o habitam, embora em sua maioria não possa ser vista sem auxílio de instrumentos ópticos, estão presentes aos milhões em cada centímetro cúbico de matéria.

Historicamente, compreendia-se o solo como um ambiente inerte; substrato para manter as plantas, todavia, evidenciou-se que o ambiente solo é bastante heterogêneo e dinâmico, sendo composto por minerais (45%), espaço poroso preenchido por gases e água (50%) e matéria orgânica (5%). Em relação a matéria orgânica, uma pequena fração é biomassa vida (4%), sendo representada por microrganismos (70%) e pela macrofauna (22%). Contudo, estima-se a ocorrência de 10 a 50 mil espécies por grama de solo (Dance 2008), sendo que somente uma pequena fração (1%) são passíveis de serem isolados e cultivados em condições laboratoriais. Como salienta Elcio Liborio Balota, na obra Manejo e qualidade biológica do solo: uma análise “isto evidencia a grandeza da biota do solo e o enorme potencial, ainda a ser descoberto, de metabólitos microbianos (como antibióticos, por exemplo) a serem utilizados pelo homem”.

Para o homem, o solo é um recurso tão importante quanto a água que ele bebe e o ar que ele respira. Ele não poderia existir sem essa principal fonte de produção de alimentos.

O solo é a base da vida e todos os organismos terrestres. É um corpo natural que demora para nascer, não se reproduz e “morre” com facilidade. Para dar a necessária importância ao solo e protegê-lo, é fundamental conhecer a maneira como se forma e quais os elementos da natureza que participam na sua formação.

O solo resulta da ação simultânea e integrada do clima e organismos que atuam sobre um material de origem (geralmente rocha), que ocupa determinada paisagem ou relevo, durante certo período de tempo. Esses elementos (rocha, clima, organismo, relevo e tempo) são chamadas de fatores formação do solo. Esses fatores são parte do meio ambiente e atuam de forma conjunta.

Atualmente, pode-se observar a degradação do solo em diversos processos, tais como: redução de sua fertilidade natural; diminuição da matéria orgânica do solo; perda de solo e água por erosão hídrica (causada pelas chuvas) e eólica (causada pelo vento); contaminação por resíduos urbanos e industriais (inclusive lixo); alteração do solo para obras civis (cortes e aterros); decapeamento do solo para fins de exploração mineral; desertificação e arenização dos solos.

Muitas vezes, as pessoas esquecem que o solo faz parte do ambiente e é essencial à existência da vida sobre os continentes.

O Dia Nacional da Conservação do Solo é comemorado no dia 15 de abril (Lei Federal 7867, de 13 de novembro de 1989), mas a preocupação com este componente da natureza não pode se restringir apenas a este dia, devendo ser uma presença diária nas discussões ambientais.

Autor: Equipe Adubare Compostos Orgânicos

Verônica Corrêa Souza- Engenheira agrônomo – Crea 93565

Seja um Associado

Para se tornar um associado, preencha o formulário e nossa equipe de consultores entrará em contato para agendar uma visita. Ou, se preferir, agende o atendimento pelo e-mail [email protected].

Já preencheu e enviou o formulário?

Parabéns!

Agora é só aguardar eu verificar as informações e entrar em contato com você!

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa  Política de Privacidade.